O Foco interior 23/11/2013

O que é focar? È ter um objectivo determinado, um caminho a seguir, não desvirtuando o propósito.
Como se faz? Existem inúmeras práticas; através de autodisciplina, da meditação, da oração, e/ou da simples força do pensamento.

A maneira mais adequada depende de cada um; como se sentem mais confortáveis, seguros, e capazes. Não existe uma fórmula mágica. Existe sim uma maneira mais adequada que serve o objectivo; conhecer-se, redescobrir-se, tomar consciência de quem é e apreciar-se.

Trabalhar o foco interior exige muita perseverança e disciplina, pois todos temos assuntos por resolver; de cariz mental, emocional, e até mesmo físico. Exige uma predisposição e vontade interior de explorar as nuances das nossas emoções, ou da falta delas, e até mesmo enfrentar realidades, padrões comportamentais que estão enraizados há tanto tempo, que conscientemente não sabemos que existem dentro de nós, que nos afectam, nos condicionam, e nos conduzem nem sempre da melhor forma.

Das práticas mais eficazes para trabalhar o foco interior é a Meditação e o Reiki (esta prática é mais complexa e ficará para outro dia, outra noite, outro momento…).

A meditação é uma prática que direcciona a nossa mente voluntariamente ao objecto da concentração necessária, que poderá ser alcançado através de uma música suave, mantra ou até mesmo só da nossa respiração. A respiração pausada permite serenar o corpo e a mente. O corpo gradualmente vai relaxando e a nossa mente deixa de ser invadida por impulsos e pensamentos que não permitem contemplar todas as sensações, sentimentos, emoções e padrões a serem trabalhados, reeducados ou mesmo eliminados, de forma suave e harmoniosa.

A quantidade de pensamentos da mente é vertiginosa, o que causa a ausência de foco. O foco interior é essencial para estarmos presentes nas nossas actividades diárias, no relacionamento connosco e com os outros, sem foco somos levados a reviver o passado e a fazer projecções de futuro, que se traduzem em ansiedades, lutas interiores sucessivas e auto-sabotagem.

Apesar de todos os inputs a que estamos sujeitos hoje em dia e de todas as distracções, que nos enchem e preenchem, devemos tentar ser resilientes nesta demanda e trabalharmos sempre a nosso favor.

O que se ganha com isso? Paz interior, serenidade, felicidade, amor-próprio e pelos outros e o mais importante: Saber quem EU SOU.

e sim, fui eu que escrevi, melhor assinar não é?
Teresa Soares Branco

Comentários

Mensagens populares